Atividades da Local - Ementas

Educação e Neoliberalismo: o contexto e o cotidiano do trabalho educativo

 

O Grupo de Trabalho em Educação da Seção Local Belo Horizonte da Associação dos Geógrafos Brasileiros convida para o Espaço de Diálogos e Práticas “Educação e Neoliberalismo: O contexto e o Cotidiano do Trabalho Educativo”

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

19h-22h

Auditório do Instituto de Geociências da UFMG, Campus Pampulha, Belo Horizonte.

O Grupo de Trabalho de Educação da Associação de Geógrafos Brasileiros – seção local de Belo Horizonte reúne-se periodicamente para discutir e elaborar conteúdos relativos à educação de modo geral, tendo se debruçado, ultimamente, nas conseqüências, em vários níveis, aspectos e âmbitos, das reformas neoliberais a partir da década de 1990. No que tange a educação, entendemos que tais reformas significam perda de autonomia (p. ex. imposição de projetos político-pedagógicos), intensificação e precarização (trabalhamos mais e em piores condições), perdas salariais, enfim, a transformação da educação (processo mais amplo de formação humana) em processo de mera instrução e capacitação para o mercado de trabalho. Sem considerar menos importante uma análise acadêmica, propomos uma abordagem destas questões a partir do contexto e cotidiano do trabalho educativo, centrada, portanto, nos sujeitos que vivenciam esse processo repleto de contradições e conflitos. Para tanto, a mesa será composta por professores de várias redes, níveis de ensino e disciplinas – não só da Geografia. Contudo, não perdemos de vista o desdobramento desta atividade em direção ao Encontro Nacional de Ensino de Geografia - Fala Professor!, que irá acontecer de 11 a 15 de novembro de 2011 em Juiz de Fora (MG).

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

VI Diálogos e Práticas da AGB-SLBH: o “Fórum Social Mundial 2009”

 

Nas portas do 9° Fórum Social Mundial, a ser realizado entre os dias 27 de Janeiro e 1° de Fevereiro 2009 em Belém do Pará - Brasil, a AGB-SLBH (Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local de Belo Horizonte) promoverá uma discussão orientada em dois eixos temáticos: “A crise contemporânea a partir das formulações teóricas de David Harvey” e “A modernização do espaço amazônico”. Dessa forma, a AGB-SLBH visa a realização de uma atividade permeada pelas contribuições teórico-conceituais da Geografia nessa discussão.

No tocante a crise contemporânea, pretende-se realizar um afastamento da massiva abordagem economicista que é vista cotidianamente, deslocando o foco da análise para a concepção de que, sob uma visão ampla, trata-se de um período crítico, iniciado aproximadamente no marco do “Choque do Petróleo” em 1973. Busca-se entender a dinâmica (re)produção da vida e do espaço sob a lógica das relações capitalistas que constituem o paradigma neoliberal a partir do conceito de inércia espacial de David Harvey. Sob essa perspectiva, a crítica da economia política caminha no sentido de conceber a “crise” (justificando as aspas e a interrogação) como um período de transição e expansão do ideal de que a vida (no tempo e no espaço) só é possível pela via da mercadoria. A partir dessa abordagem, deseja-se chegar ao âmbito da discussão das condições em que povos do mundo inteiro se encontram, bem como das proposições de interpretação, projetos e práticas que as vertentes à esquerda têm apresentado como alternativas.

Sendo o Fórum Mundial Social realizado em Belém do Pará e tendo como realidade espacial e foco orientador a Amazônia, a modernização que vem sofrendo o espaço amazônico, sobretudo após a década de 1970, é uma temática de grande relevância e recorrência durante as atividades do FSM. Dessa forma, propõe-se discutir durante a atividade a (re)produção, no espaço amazônico, das relações capitalistas, com especial atenção à polaridade do agronegócio e das práticas relacionadas à biotecnologia. É importante ressaltar que a discussão sobre a modernização da Amazônia parte da concepção de que o espaço amazônico está longe de ser homogêneo e “natural”. Obviamente a abordagem passa pela noção ambiental e pela crítica das práticas capitalistas que têm gerado conflitos com aqueles povos que tradicionalmente ocupam a região. Entretanto, a discussão pretende materializar como foco primordial as distintas realidades socioculturais presentes no espaço amazônico, numa relação entre modernização, resistência e conflitos sociais.

Por fim, é importante relevar que a discussão de ambos os eixos temáticos tangenciam-se na medida em que apresentam como plano de fundo as práticas e arranjos da produção capitalista da riqueza, orientada pelo crescimento econômico e que se sintetiza nos arranjos discursivos e práticos da “sustentabilidade”.

 

DATA DA ATIVIDADE: Terça-feira, dia 20 de Janeiro de 2009.

HORÁRIO: 18:30

LOCAL: Centro Cultural da UFMG – Av. Santos Dumont 174 - Centro

Tópico: Atividades da Local - Ementas

duvidas

laercio da silva ferreira | 14/03/2012

boa noite ! nunca participei de um evento em outra cidade, gostaria de saber se a faculdade disponibiliza o espaço para aluno dormirem tipo alojamento.

Re:duvidas

AGB-SLBH | 26/03/2012

Prezado Laércio,

Informamos que é da política da AGB prover alojamentos nos Encontros Nacionais de Geógrafos. No entanto, para a XVII edição, ainda estamos organizando esta parte. Em breve, divulgaremos pelo site do Encontro, < http://www.eng2012.org.br/ >, maiores informações.

Att.,
Comissão Organizadora Local do XVII ENG

elogios.

maria célia teixeeira | 28/06/2011

parabens pela gestão da agb. conheci vcs em alguns congressos realizados emSP,GO,MT sei que vcs são inteligentes. gostaria de revelos em outros encontros. felicidades.

Novo comentário